Dehesa-Pedroches

 

Garantindo a rastreabilidade

Desde há vários anos que o setor do presunto ibérico solicitava uma normativa de Garantia de Qualidade que proteja o consumidor de presuntos e paletas ibéricas contra fraudes e falsificações.

Há cinco anos atrás, a Associação Interprofissional do Porco Ibérico (ASICI, na sigla em Espanhol) encarregou-se desta missão, e após uma intensa análise do problema e das suas possíveis soluções, decidiu-se que o melhor produto para garantir os objetivos de garantia, identificação e rastreabilidade que o presunto ibérico exigia era a incorporação de um selo de segurança no matadouro. Este selo de segurança irá acompanhar o presunto ibérico ao longo de todo o seu processo de secagem e de cura, até chegar ao consumidor, e representará a sua garantia de qualidade.

Para a fabricação destes selos de segurança, a ASICI escolheu a PRECINTIA INTERNATIONAL, quer pela excelente qualidade dos seus produtos quer pelo compromisso empresarial que o projeto exigia.

A PRECINTIA dedica-se à identificação de presuntos desde há mais de 20 anos, contando por isso com uma grande experiência no mercado e um amplo prestígio no setor.

Decreto Real 4/2014, de 10 de janeiro, o qual aprova a normativa de
qualidade para a carne, o presunto, a paleta ibérica e o chouriço de lombo de porco ibérico.

Por fim, a 10 de janeiro de 2014, o projeto teve luz verde quando o ex-Ministro da Agricultura, Alimentação e Meio Ambiente, Miguel Arias Cañete, em conjunto com a Vice Presidente do Governo, Soraya Sáenz de Santamaría, apresentaram na comunicação social os selos de segurança que a partir de então regulamentam a qualidade dos presuntos ibéricos produzidos na Península Ibérica.

Esta norma estabelece a alimentação dos animais (bolota, ração), a pureza racial do animal (100% ibérico ou ibérico cruzado) e o lugar de criação (prados ou instalações confinadas). Os selos de segurança incluem estas informação, em conjunto com uma numeração e um código de barras, que irá permitir a rastreabilidade do presunto ou da paleta de forma constante, salvaguardando o setor e evitando que o consumidor seja alvo de fraudes.

(Pueden consultar la normativa completa en el BOE, Real Decreto del 10 de Enero 2014 )